Thursday, February 14, 2013

Anna e o Beijo Francês, por Stephanie Perkins


  Sinopse
     ''“Isto é tudo o que sei sobre a França: Madeline, Amélie e Moulin Rouge. A Torre Eiffel e o Arco do Triunfo também,
embora eu não saiba qual a verdadeira função de nenhum dos dois. Napoleão, Maria Antonieta e vários reis chamados
Louis. Também não estou certa do que eles fizeram, mas acho que tem alguma coisa a ver com a Revolução Francesa,
que tem algo a ver com o Dia da Bastilha. O museu de arte chama-se Louvre, tem o formato de uma pirâmide, e a
Mona Lisa vive lá junto com a estátua da mulher sem braços. E tem cafés e bistrôs — ou qualquer nome que eles dão
a estes — em cada esquina... Não é que eu seja ingrata, quero dizer, é Paris. A Cidade Luz! A cidade mais romântica
do mundo.”
Anna Oliphant não está nada entusiasmada com a ideia de se mudar para Paris, já que seu pai, um famoso escritor
norte-americano, decidiu enviá-la para um colégio interno na Cidade Luz. Anna prefere ficar em Atlanta, onde tem
um bom emprego, uma melhor amiga fiel e um namoro prestes a acontecer.Mas, ao chegar a Paris, Anna conhece
Étienne St. Clair, um rapaz inteligente, charmoso e bonito. Só que Etiénne, além de tudo, tem uma namorada... Anna
e Etiénne se aproximam e as coisas ficam mais complicadas. Será que um ano inteiro de desencontros em Paris
terminará com o esperado beijo francês? Ou certas coisas simplesmente não estão destinadas a acontecer?
Stephanie Perkins escreveu um romance de estreia divertido, com personagens espirituosos que garantem dedos
formigando e corações derretendo.''

     Vamos admitir que a capa de ''Anna e o beijo Francês'' tem todo um charme. E foi esse charme que me conquistou assim que entrei na Livraria, e o vi em 'Lançamentos'. Paris!
     No início da leitura confesso que ouvi minha consciência pesando: tudo parecia aquele tradicional Clichê americano da garota inibida, que acaba gostando do gostosão popular da escola, que todas as garotas correm atrás. (ARGH!), e a loira dos olhos azuis metida com um bando de 'discípulas' atrás...essas coisas.
     Mas o fato de a história ter Paris como cenário muda tudo. Aliás, não só Paris, mas até mesmo a postura e as atitudes dos personagens.
     Com o decorrer da história, vi-me cada vez mais presa á ela. Stephs Perkins me surpreendeu de uma forma que não acreditei que fosse capaz. Me fez sentir alegre em uma página, para na outra, encher-me de raiva.
     Adorei o conteúdo do livro, a narrativa inteligente, animada e dinâmica.


Trecho: '' Meu quarto está escuro e Étienne envolve os braços em volta de mim Nós ouvimos a cantora de ópera em silêncio. Fico surpresa ao perceber o quanto sentirei falta da França. Atlanta foi minha casa por dezoito anos e, embora só tenha conhecido Paris há nove meses, ela me modificou. Tenho uma nova cidade para me adaptar no ano que vem, mas não estou com medo. Porque eu estava. Por nós dois, a palavra casa não é um lugar. É uma pessoa. E nós, finalmente, estamos em casa.''

Depressão pós-livro: 95%

Avaliação Final: 98%

No comments:

Post a Comment